quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Soneto do Menino Perdido

Na estrada, me perdi
Já não tenho segurança
As mãos frias, estão tremendo
Procuro, não encontro - companhia, segurança

Por quê? Pra quê?
Tudo já não me fascina
Já não sei se sei viver
Já não sei se me domina
Procuro, não acho
Não me encontro,
Me refaço
Mesmo sem, saber o quê?
Já não falo, pois não sei
Não sei bem, o que dizer?

(Adriano Santos)

Um comentário: